EspeciaisWaveSki

Saiba como nasceu o esporte Waveski no Brasil e no mundo.

Waveski é um esporte feito sentado em uma prancha maior com característicasde surfe e canoagem.

Waveski uma modalidade unindo características de surf e canoagem, que tem se tornado cada vez mais uma opção nas praias brasileiras.

Felipe Xus

Saiba como nasceu o esporte Waveski no Brasil e no mundo.

De repente surge naquela melhor onda da série uma figura que difere das demais. Sentado numa prancha (que se assemelha muito a um caiaque aberto) com um remo de duas pás nas mãos, desliza rápido e mostra um surf de muitas manobras radicais que surpreende. O que é isso? Waveski é o nome do esporte, modalidade unindo características de surf e canoagem, que tem se tornado cada vez mais uma opção nas praias brasileiras.

Pranchas utilizadas no esporte

O waveskier, nome dado ao praticante do esporte, utiliza uma prancha que adota muitos princípios das atuais pranchinhas de surf. As maiores diferenças ficam por conta do grande volume observado na rabeta (garantindo a flutuação necessária), um assento e um cinto que fixam o waveskier à prancha, além das pedaleiras onde os pés se encaixam para garantir manobrabilidade ao equipamento. O remo de duas pás completa a lista.

Manobra realizada de Waveski

E aí? Bem, diferente do que se possa imaginar de início, o esporte é muito radical. Batidas, rasgadas, flooters, aéreos, 360. Enfim, as mesmas manobras do surf com uma plástica própria e contagiante.

História do esporte.

A história do Waveski começa com Merv Larsson, que integrava a equipe olímpica dos Estados Unidos e levou uma prancha para a Austrália nos anos 1970, despertando a curiosidade e interesse dos australianos e sul-africanos, principalmente os salva-vidas, que passaram a usar o Waveski na sua rotina. Daí serem a Austrália e África do Sul até hoje potências mundiais do esporte.

Entretanto, há pelo menos três mil anos se pratica no Peru um surf muito parecido: o Caballito de Totora. Trata-se de uma embarcação feita artesanalmente de folhas e caules da planta totora, uma espécie de junco, com formato que lembra a prancha de waveski. Usadas tradicionalmente por pescadores peruanos, tem esse nome devido a posição montada que se assume para navegar no caballito de totora, e também serve para diversão e prática do surf.

Caballito de Totora

O Waveski chegou ao Brasil em meados da década de 1980, com uma prancha trazida da África do Sul pelo pai de José Ramon do Amaral Gomes. Em 1989 foi oficialmente reconhecido pela Confederação Brasileira de Canoagem – CBCA, na categoria de Canoagem em onda, nome que não caracteriza exatamente o Waveski, já que, conforme seus praticantes, está muito mais para surf que canoagem.

As primeira pranchas que chegaram ao Brasil

Atualmente, com o apoio da Associação Paulista de Waveski – APWS e da própria CBCA, vem ganhando destaque no cenário nacional com a realização de vários encontros e algumas competições, o que tem garantido a chegada de novos praticantes.
E para quem teve a curiosidade despertada, fica a dica: vale à pena experimentar. Embora exija um pouco de prática e paciência, a sensação de dropar uma onda com o Waveski é indescritível.

Enviado Por: Felipe Xus e APWS

#estamosnatorcida.

Etiquetas
Mostrar mais

Eduardo Barrionuevo

Eduardo Barrionuevo é surfista profissional e compete atualmente as etapas do CBSurf. Nascido em Iguape, atualmente ele treina no Guarujá e é um atleta do time da Gangster, entre outros patrocínios. Barrionuevo possui conhecimento profundo do mundo do surf dando uma visão crítica e especializada as notícias do portal . Edu é atleta patrocinado da Gangster, e recebe apoios da Águas Claras Sr. Altino, Botton Fins , D+Sports , Ótica Di Fiori, TH Surfboards e LivreSurf. Contato: eduardo@livresurf.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo