Bali

Corona Bali Protected 2019 – Maioria dos Brasileiros segue direto ao R3

Jesse Mendes e Panda são os únicos que enfrentam a respescagem

O que Game of Thrones e o Corona Bali Protected tem em comum? O troféu da etapa da WSL é um dragão que ano passado queimou os adversários nas mãos de Italo Ferreira.

Além disso ambos disputaram a atenção de muitas casas na noite de hoje afinal It’s on!…eu escolhi o dragão do surf…Dracarys!

italo bali 2018
BALI, INDONESIA – MAY 12: Italo Ferreira of Brazil at The 2019 Corona Bali Protected Press Session at Keramas on May 12, 2019 in Bali, Indonesia.(Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images)

Começou com ondas pequenas a 3° etapa do campeonato mundial de surf: Corona Bali Protected 2019.

O evento começou com os homens na água, com o objetivo que foi atingido de completar o round 1 por inteiro. Vale lembrar que o round 1 no novo formato do CT não elimina ninguém.

Jhon Jhon Florence x Michael Rodrigues x Leonardo Fioravanti

A pontuação da segunda onda de JJ Florence com um “aéreo reverso full rotation”, (7,67 pontos) deu a letra de qual vai ser a abordagem dos juízes para esse primeiro dia: manobras inovadoras vão pontuar bem.

Vale dizer que a segunda onda de JJ foi a mais relevante da bateria, Michael e Fioravanti fizeram manobras de borda e pontuaram com notas baixas.

michael rodrigues bali 2019
BALI, INDONESIA – MAY 13: Michael Rodrigues of Brazil advances directly to Round 3 of the 2019 Corona Bali Protected after winning Heat 1 of Round 1 at Keramas on May 13, 2019 in Bali, Indonesia. (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images)

Jordy Smith x Sebastian Zietz x Jadson Andre

Agora é a vez de Jadson Andre, que fez a segunda melhor onda da bateria, mandando rasgadas e ficando praticamente na vertical com sua prancha. Levou 6,07, nessa onda.

A melhor onda, foi de Jordy Smith com excelentes manobras de borda. Zietz escolheu ondas ruins e vai passar pela repescagem.

Italo Ferreira x Ezequiel Lau x Caio Ibeli

Italo começou mandando forte na borda nessa bateria e arrancando um 6,50 pra assustar os adversários, o que funcionou, foi a maior nota da bateria, vale olhar a manobra da junção, bem radical.

Caio Ibeli hibernou na bateria até o minuto 16 sem ter pego nenhuma onda, depois conseguiu assumir o segundo lugar classificatório, onde se manteve mas não sem passar por um frio na barriga com a última onda de E. Lau.

Italo durante toda a bateria se manteve isolado na primeira posição da bateria. Com ele, Ibeli também segue pro R3.

Filipe Toledo x Peterson Crisanto x Jacob Willcox

O jovem australiano Jacob já estava na sua terceira onda de notas pequenas enquanto os brasileiros ainda estavam zerados, isso se manteve durante os 6 primeiros minutos da bateria. Quando Filipe Toledo deu uma sequencia de duas porradas em uma onda ganhando 7,17.

Enquanto víamos Filipe mostrando sua fúria, ao fundo em uma cena animal víamos Peterson, o Urso, tentando voar alto, não deu certo, mas se desse…

O que deu certo, e como deu certo foi o voo de Filipe Toledo, esta onda você tem que assistir, valeu 9 pros juízes, mas aqui em casa todo mundo levantou do sofá!

Crisanto demorou pra começar a surfar, faltando 9 minutos tinha 1 ponto do aéreo que não deu certo, em poucas ondas que ele pegou percebia-se que ele surfava melhor que o australiano, mas poderia ter evitado o frio na barriga. Ele virou em uma entubada em que saiu pela dogdoor onde pontuou 6,27 assumindo o segundo lugar e indo para o R3 junto com o isolado Filipinho na liderança da bateria.

Gabriel Medina x Deivid Silva x Rio Waida

Rio Waida não é um nome com o qual estamos acostumados, isso por que ele é um dos wildcards do evento, que como de costume caem nas piores baterias para mostrarem seu valor, no caso, com Medina…

Mas, faltando 7 minutos pra bateria acabar, fiquei surpreso com o placar: Waida liderava a bateria, na sequência Deivid Silva, orgulho da Prainha Branca e em último, Medina.

Medina conseguiu trocar uma de suas notas em uma onda pequena, passando Deivid, em sua última onda que terminou junto com a buzina de fim de bateria ele fez a melhor onda da bateria, mas não ficou em primeiro manteve-se com o segundo lugar da bateria e deixou DVD para a repescagem.

Vale destacar que nessa bateria o mar já estava um pouco pior, bastante inconstante.

Owen Wright x Yago Dora x Soli Bailey

Tendo começado com o australiano Owen Wright encabeçando a bateria, não demorou para Yago Dora mostrar seus atributos fazendo uma nota 7,33.

Soli Bayle chegou a chamar atenção com uma nota 6, mas não deu pra ele.

Conner Coffin x Jeferemy Flores x Jesse Mendes

Coffin manteve-se na liderança quase durante toda a bateria, da mesma forma que Jeremy Flores ficou em segundo e Jesse em terceiro.

Jesse escolheu muito mal as onda, tirando notas baixas que não mudavam o cenário do resultado, acabou ficando para o R2 da repescagem.

Michel Bourez x Willian Cardoso x Griffin Colapinto

Em um mar de poucas ondas, Willian Cardoso, o Panda, até os 18 min restantes era o único a ter surfado. O brasileiro estrategista percebeu que em mar de pouca onda vence quem surfa.

A estratégia porém não durou muito e o quadro ao final da bateria era difícil para o brasileiro que acabou comprando uma onda ruim de Bourez.

Apesar de uma última onda onde mandou seu power surf, Panda não conseguiu reverter e acabou ficando para a repescagem.

 

#EstamosNaTorcida

 

 

 

Tags
Show More

Rodrigo Morais

Especialista no mercado de tecnologia com 17 anos de experiência, focado em segurança da informação. Surfista amador frequentador das praias da vibrante ilha de Guarujá. Fotógrafo especializado na captação de esportes, especialmente o surf. Contato: rodrigo@livresurf.com.br

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close