+CampeonatosNotíciasNotícias do TourSurfistas

Campeões são decididos em Maresias após 3 dias de competição

Com Três títulos sul-americanos na etapa.

Depois de 3 dias emocionantes de disputa em Maresias, três títulos sul-americanos são decididos no Oi Pro Junior e Oi Longboard Pro

Campeões são decididos em Maresias após 3 dias de competição.

A carioca ganhou o título invicta nas duas etapas, Carlos Bahia derrotou o tetracampeão Piccolo Clemente e no Oi Pro Junior Series os peruanos Raul Rios e Sol Aguirre venceram os brasileiros Eduardo Motta e Tainá Hinckel

Nos pranchões, deu o Brasil com a carioca Chloé Calmon derrotando Maria Fernanda Reyes na decisão do título sul-americano da WSL Latin America e no masculino venceu o local de Maresias, Carlos Bahia, carimbando a faixa de tetracampeão Piccolo Clemente.

Mas os resultados são iguais ao placar de 2 a 2 no Pro Junior, com vitórias de Raul Rios sobre o paulista Eduardo Motta, que mede a liderança no ranking, e Sol Aguirre no duelo de bicampeãs sul-americanas com a catarinense Tainá Hinckel.

No sábado, Tainá e Piccolo confirmam os títulos de 2019 por antecipação, com as classificação para semifinais. A disputa pelo título do Pro Junior masculino ficou para a última etapa do Circuito Sul-Americano da WSL América Latina, o Mancora Junior Pro Peru, já na próxima semana, nos dias 14 e 15, com Raul Rios competindo em casa dessa vez.

Parafina FuWax

Chloé Calmon é campeã sul-americana

Chloé Calmon ganhou de Maria Fernanda Reyes. como na primeira etapa do Oi Longboard Pro, para obter o primeiro título sul-americano.

Chloé Calmon
Chloé Calmon

Disse Chloé Calmon:

“Foi incrível ter duas etapas da WSL no Brasil esse ano. É muito legal ver toda a comunidade de longboard aqui e acho que as pessoas estavam precisando desse apoio. Todo mundo sai dessa temporada supermotivado para evoluir para um ano que vem e eu estou muito feliz em ter conquistado esse título em casa. Eu ainda não tinha esse título e competia em casa ou ano inteiro, lá no Rio de Janeiro onde moro e aqui em Maresias também, foi uma sensação incrível. Só me dá mais motivação para Taiwan, fechar o ano com uma chave de ouro “.

A final do longboard feminino foi a primeira a entrar no mar na Praia de Maresias e a peruana Maria Fernanda Reyes precisava vencer a bateria para decidir o título sul-americano. Ela deu trabalho e ficou na frente quase toda a bateria, com notas 6,00 e 4,00 nas duas melhores ondas.

Mas, Chloé Calmon correu atrás e pegou uma onda no último minuto, que abriu uma parede para o carioca, mostrando toda a sua habilidade no pranchão, indo até o bico para fazer manobras conseguiu um 7,00 e a vitória por 11,80 a 10 , 00 pontos.

Um dos seus objetivos para esse ano foi cumprido no domingo, sendo campeão sul-americano invicta. Agora, Chloé parte para Taiwan, tentar mais um título para o Brasil, o campeão mundial de longboard feminino na World Surf League, na primeira semana de dezembro. Das três etapas disputadas, venceu duas vezes e Honolua Blomfield venceu uma, sendo sua principal concorrente na final do Mundial de Longboard em Taiwan.

Protetor Solar Ponchos

Longboard masculino

O peruano Piccolo Clemente foi confirmado tetracampeonato sul-americano no sábado. Saiba mais

Carlos Bahia
Carlos Bahia

A etapa quem levou foi o local de Maresias, Carlos Bahia, que teve uma torcida que vibrava em cada onda surfada. Desde sua semifinal contra o bicampeão mundial Phil Rajzman, quando os dois deram um show para o público que compareceu na praia no domingo.

Bahia tirou uma nota 9,0 para bater o carioca e depois enfrentou o outro bicampeão mundial, Piccolo Clemente.

Piccolo Clemente largou na frente com uma nota 7,25, mas Carlos Bahia respondeu com 8,50 para assumir a ponta. Como as ondas estavam pequenas no último dia do Oi Longboard Pro, com as séries demorando a entrar em Maresias, mas algumas abriam as paredes mais longas para serem executadas as manobras clássicas de pranchões Piccolo conseguiu fazer sua segunda onda um 7,75 para recuperar a liderança, mas Bahia logo conseguiu um 6,95, para passar a frente e vencer por 15,45 a 15,00 pontos.

Disse Carlos Bahia:

“Quero agradecer a toda a galera local, minha família, minha esposa Vanessa, minha filha, meu pai, porque estava aqui onde eu comecei, onde aprendi tudo. “Eu fiquei dois anos sem participar do Circuito Mundial, mas foi aqui onde eu aprendi tudo e eu precisava de uma vitória assim, em casa, em um evento internacional da WSL. Isso foi um sonho que eu tive e eu sempre digo para nunca desacreditar dos seus sonhos. Ganhar de dois bicampeões mundiais na minha casa, é uma honra para mim. Será certamente uma vitória inesquecível “.

Feminino Oi Pro Junior Series

A campeão sul-americano Pro Junior de 2016, garantiu seu segundo título por antecipação no sábado em Maresias, Tainá Hinckel. Saiba mais

Tainá Hinckel

Tainá Hinckel ganhou a primeira etapa na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ela defendeu uma invencibilidade no Brasil em 2019 e começou bem a final em São Sebastião, saindo na frente com nota 8,50 na primeira onda que surfou porém fez apenas 3,25 em sua segunda nota.

Sol Aguirre e Tainá Hinckel

A peruana Sol Aguirre, bicampeã sul-americana em 2017 e 2018, conseguiu surfar duas ondas regulares em toda a bateria fazendo 6,00 e 5,90 o suficiente para vencer Tainá por 11,90 a 11,75 pontos.

Disse Sol Aguirre:

“Depois de perder tantos Pro Junior, estou me sentindo soberbo em ganhar agora. Eu segui com esperança, treinando bastante e só queria surfar bem minhas ondas, obter boas notas nas baterias e estou muito feliz em ganhar no Brasil . Deus é grande e sabe que cada vez que você cai, você levanta mais forte. Perder bastante ensina-los a nunca desistir, pois Deus tem um caminho para todos nós. Agora, uma etapa em casa, Mancora, é a melhor forma de encerrar o ano Pro Junior. Um primeiro lugar aqui me dá mais confiança, deixa um pouco mais tranquilo, porque quero me classificar para o Mundial da WSL “.

Sol Aguirre

Com uma vitória no último Oi Pro Junior Series do ano, uma única que pode tirar a segunda vaga do Mundial Pro Junior da World Surf League, é uma brasileira Julia Duarte. Mas, um carioca já precisa da vitória na última etapa do Circuito Pro Junior da WSL América Latina, que será disputado na casa de Sol Aguirre, dias 14 e 15, em Mancora, no Peru. E a final não pode ser com a peruana, que já confirma o segundo lugar no ranking se passar das semifinais.

Masculina Oi Pro Junior Series.

Na final masculina, a vitória no Oi Pro Junior Series rendeu a liderança no ranking sul-americano e deu Peru de novo. Raul Rios começou forte com nota 7,00 na sua segunda onda e 5,75 na terceira, enquanto o paulista Eduardo Motta não conseguiu completar suas onda como ele.

Eduardo Motta

Dudu conseguiu 6,75 na melhor onda dele e arriscou um aéreo muito alto para tentar uma vitória, mas caiu em sua prancha na volta e acabou partindo em dois pedaços, saiu do mar para trocar o equipamento e depois não conseguiu boas ondas.

Raul Rios venceu e saiu do Brasil liderando da corrida do título sul-americano da WSL América Latina e pelas três vagas para o Mundial Pro Junior, em Taiwan.

Disse Raul Rios:

“Estou muito feliz, pois estou treinando muito para isso. É minha segunda final a primeira fiquei em segundo, então queria ganhar um campeonato. Eu estava bem focado e sinto-me bastante feliz, porque todos estão surfando muito bem. Eu consegui me conectar com o mar e vencer este evento aqui. Estou muito feliz por ser o primeiro no ranking, pois vale o Mundial da A WSL em Taiwan é o que todos queremos, continuo focado em obter o título. Mancora é minha praia, onde eu moro e vou dar tudo para ser campeão lá “.

Raul Rios

Com 1.000 pontos da Série Oi Pro Junior, Raul Rios subiu da quinta para a primeira posição no ranking da WSL Latin America. O ex-líder, Daniel Templar, caiu para o segundo lugar e Lucas Vicente para o terceiro, fechando o grupo dos três que se classificaram para o Mundial. Lucas tem 2.590 pontos, contra 2.470 do vice-campeão em Maresias, Eduardo Motta.

A batalha final pelo título sul-americano ainda tem mais quatro brasileiros com chances de ser campeão no Peru, Mateus Sena (5.o no ranking), Daniel Adisaka (6.o), Fernando Junior (7.o) e Leo Casal (8.o). Estes também vão disputar as três vagas no Mundial e mais uma vez nessa briga, Heitor Mueller, que não está no ranking.

E a LivreSurf parabeniza todos os atletas da disputa.

#estamosnatorcida

 

Etiquetas
Mostrar mais

Eduardo Barrionuevo

Eduardo Barrionuevo é surfista profissional e compete atualmente as etapas do CBSurf. Nascido em Iguape, atualmente ele treina no Guarujá e é um atleta do time da Gangster, entre outros patrocínios. Barrionuevo possui conhecimento profundo do mundo do surf dando uma visão crítica e especializada as notícias do portal . Edu é atleta patrocinado da Gangster, e recebe apoios da Águas Claras Sr. Altino, Botton Fins , D+Sports , Ótica Di Fiori, TH Surfboards e LivreSurf. Contato: eduardo@livresurf.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar